Como comprar um bom Whisky – o guia para principiantes

Como comprar um bom whisky

Como comprar um bom Whisky – o guia para principiantes

Para um conhecedor, comprar um whiskey irlandês ou um whiskey escocês de qualidade não é uma tarefa difícil. Já conhecem as melhores marcas e os melhores whiskies e, em geral, sabem quais as marcas com melhor relação qualidade/preço. No entanto, para alguém que não tem muitos conhecimentos sobre o assunto, escolher um whisky, seja para oferecer ou para desfrutar em casa, pode não ser uma tarefa simples.

Como comprar um bom whisky?

Uma boa garrafa de whisky é sempre um presente apreciado, especialmente pelos homens. Por isso, se quiser comprar um whisky de qualidade para oferecer ou para si próprio, há alguns pontos a que deve prestar atenção para fazer uma boa escolha.

Existem vários factores que influenciam o sabor, o aroma, a cor e a qualidade da própria bebida, e cada um deles confere um sabor muito específico ao whisky.

Por isso, pode ser difícil escolher entre todas as gamas e tipos, e é por isso que apresentamos algumas dicas para ajudar.

Dica n.º 1 – Escolha a categoria de whisky que pretende comprar

O whisky pode ser dividido em várias categorias, tais como

blended, single malt ou puro malte

. Para quem não está familiarizado, estes nomes não dizem muito, mas são cruciais e influenciam o sabor. Assim, compreende que, para escolher um bom whisky que se enquadre nas suas preferências, tem de conhecer o significado.

Um blended whisky resulta da mistura de vários whiskies de malte, resultando numa bebida suave e com uma combinação de sabores. Mas o single malt é feito apenas com malte, e por isso é mais puro. Existe ainda o whisky puro malte que também é produzido apenas com cevada maltada, mas através de mais etapas.

Em geral, os whiskies single malt são considerados mais valiosos e, por isso, têm um preço mais elevado. Mas um bom blended whisky pode ser de qualidade excecional e alguns dos mais famosos do mundo.

Dica #2 – Escolha o local de fabrico e a região

Atualmente, há vários países que produzem bons whiskies, e não apenas na Escócia, na Irlanda ou nos Estados Unidos. No entanto, mesmo dentro de cada país, as diferenças são muito significativas, com sabores e aromas diferentes, que resultam de características naturais específicas de cada região, e também da vegetação utilizada para fumar. Por exemplo, enquanto no whiskey irlandês é frequentemente utilizada uma mistura de cevada não maltada, na

Escócia

é amplamente utilizado o malte de cevada. Nos Estados Unidos é utilizada uma mistura de diferentes tipos de grãos, incluindo o milho, e o whisky canadiano é feito com arroz.

Assim, pode ver como a origem do whisky influencia grandemente o sabor e o aroma da bebida.

Dica #3 – Escolher o envelhecimento (e definir um orçamento)

No final da análise dos dois pontos anteriores, é altura de olhar para o preço de cada garrafa. Pode facilmente constatar que quanto maior for a idade de um whisky, mais caro será o seu preço. Se não quiser gastar uma grande quantidade de dinheiro, existem também escolhas fantásticas na categoria de whiskies com uma idade inferior a 15 anos. A partir dos 15 anos, os preços tendem a aumentar.

Assim, se não tiver preferência na escolha da idade de um whisky, defina o seu orçamento e procure um com uma idade que se adeqúe.

Tem algumas dicas que gostaria de partilhar connosco? Deixe nos comentários as suas sugestões!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Nenhum produto no carrinho.